Bradesco faz mutirão de conciliação para negociação de débitos

Publicado pela assessoria de comunicação em 16/11/2017

Por Thassiana Macedo / Jornal da Manhã - 15/11/2017

 

De 20 a 22 de novembro, o Banco Bradesco S/A promove um mutirão de conciliação para favorecer a negociação de clientes em débito com a instituição bancária. As audiências serão realizadas na sede da OAB Uberaba, que fica na rua Maranhão, nº 1.460, bairro Mercês, das 9h às 12h e das 13h30 às 17h. A conciliação será conduzida por procuradores da Paniago Advogados Associados e por um representante da matriz.

De acordo com o procurador Ruan Duarte Carrijo, cerca de 3.300 processos em tramitação na Justiça de Uberaba foram selecionados para tentativa de acordo e solução de litígios a partir de audiências de conciliação. “As partes de todos receberam cartas convites para a participação. São processos que estão tramitando e a expectativa é de que encontremos muitos processos antigos, que estavam parados por ausência de iniciativa, porque dentro dessas características o banco consegue uma faixa de descontos significativos. São processos que poderiam ter sido resolvidos anteriormente e não foram. Esses eventos ocorrem quase semestralmente, mas, diferente de Uberaba, em muitas cidades ainda há resistência de juízes”, afirma.

Carrijo destaca que, entre os processos com valores menores de débito, calcula-se que o montante dos créditos objeto de audiências de conciliação chegue a R$120 milhões. No entanto, considerando também os processos que envolvem grandes grupos econômicos, os quais participam de um procedimento diferente de negociação e, portanto, não serão foco do mutirão, encontram-se dívidas que chegam a cerca de R$470 milhões.

O procurador alerta que débitos com cartão de crédito, que atualmente representam a maioria das dívidas de brasileiros com bancos, não fazem parte desse mutirão. “Isto porque o cliente Bradesco que tem dívida de cartão de crédito consegue negociar os valores junto à própria central de cartões. Essas centrais concedem uma faixa de desconto mais significativa e uma abertura maior para a negociação”, esclarece.

Ruan Duarte Carrijo explica que o foco do mutirão são os clientes com débitos de financiamento, alienação fiduciária, crédito rural, empréstimos e capital de giro, por exemplo, entre outros. A expectativa do procurador é encerrar o evento com um percentual mínimo entre 30% e 40% de soluções por meio da conciliação judicial, mas com os encaminhamentos de clientes interessados em resolver sua situação com o banco, o percentual esperado pode subir para 50%. Para ele, o ideal é que as pessoas compareçam ao evento, pelo menos para conhecer as propostas de negociação, pois é nesse momento que pode surgir a oportunidade de ficar livre das dívidas.